sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

EMOÇÕES

Hoje escolhi para falar de emoções. Esse é um tema muito rico e ao mesmo tempo desafiador, a começar pelo dicionário, cuja explicação mais faz confundir que elucidar. Não sei dizer como tudo se processa, mas é fato que guardamos da infância fragmentos de situações em nossa memória que mais tarde durante nossa vida adulta, quando acionados, nos remete à lembranças. Cada um de nós tem seu arquivo particular de boas e más imagens. No meu caso, como já disse em outras oportunidades, as raízes portuguesas foram dominantes na minha formação, certamente pelo maior convívio com meu avô paterno. Nascido e criado em meio a imigrantes portugueses que vinham em busca de realizar seus sonhos, muitos dos quais ficaram pelo caminho, tenho muitas imagens de infância relacionadas a eles. Uma delas é muito presente e refere-se ao vinho do Porto da Real Companhia Velha, com seu rótulo tradicional onde se nota o brasão de Portugal. Para mim, o simples fato de contemplar seu rótulo já significa alegria. Degustá-lo é mergulhar no passado tal qual a leitura de um diário gasto pelo tempo onde palavras desconexas tentam contar uma história. De fato, não conheço como é o processo de registro desses momentos, objetos, sons etc. nem como eles se relacionam às boas e más lembranças de nosso passado. Só sei que, no meu caso, esse vinho provoca alegria e saudades. Talvez eu o tenha conhecido durante o preparo das famosas gemadas com vinho do Porto, quem sabe?

(Reprodução - Colaboração do Quintal que é brother há mais de 30 anos, apreciador e produtor de bons vinhos)

14 comentários:

M disse...

Êita ! A primeira imagem que me veio foi de Dna. Aurora, minha avó materna, preparando a gemada !!!
Ôôô, saudade !

Buonanno disse...

Ah, que legal!!!

Sendo assim, já valeu o post.

Helio Herbert disse...

Meu vinho preferido após as refeições.
Já cheguei a tomar um porre do Real,quase duas garrafas,nunca fiquei tão bebado na minha vida,e ainda fiz a besteira de voltar para casa dirigindo,dei uma porrada num poste e perdi o carro,graças à Deus não machuquei ninguém.

Francisco J.Pellegrino disse...

O q eu posso comprar é o ADRIANO RAMOS PINTO, eu adoro. Tô com o M, as gemadas da minha avó Mariana são inesquecíveis.

M disse...

Ainda hoje não resisto a uma gemada, apesar do mêdo da salmonela.
Acho que "nos bons tempos" a maldita não existia...

roberto zullino disse...

Achei meio gay o início do texto, mas depois mudou.
Realmente vinho do porto é outro departamento, é tão bom que nem português é, todos são ingleses desde 1700 quando portugal fez um tratado de fenício com a inglaterra, a pérfida albion.
Também só posso comprar o adriano, mas tomo todo dia quando não esqueço. Gemada nem pensar, blarghh, que nojo.

regi nat rock disse...

Eu aprecio depois de uma refeição legal.
Só isso.
Não tenho sangue da terrinha.
Gemada, vez em qdo ainda faço uma, mas cada vez menos por conta da salmonela. Vai saber...

Helio Herbert disse...

Ô gente salmonela no alcool...
Nada sobrevive no alcool,só "nois"

Mezza disse...

Muito bom o texto.
Nos remete à infância mesmo, bons momentos, e à inesquecível gemada com o tal Vinho do Porto, no meu caso um Adriano Ramos Pinto.

Luiz Carlos Fortes disse...

Minha mãe ha uns dias atrás estava com um irritante mal estar conforme me disse;fraqueza,desanimo um terrível mau humor.Desligou a tv,foi até o "santuário "de meu pai se serviu de um cálice do Porto ,deitou no sofa da sala e acordou ótima no dia seguinte.Detalhe:D.Zézé tem 95 aninhos.!!!!!!!

Speed disse...

Em primeiro lugar, parabéns pela composição de imagens.

Elogiar os textos do Quintal é chover no molhado.

Interessante esse assunto, há cheiros, sons e sabores que me remetem imediatamente a momentos felizes e outros nem tanto, mas que tem em comum o fato de terem sido marcantes. Acho isso muito bom! Alguém disse que recordar é viver. Completo dizendo que é também reviver e, mais importante, reforçar que vivemos, temos um passado importante e que não pode ser esquecido.

O Vinho do Porto me traz recordações mais recentes, mas bastante queridas, poios tomei conhecimento dele já adulto através de grandes amigos.

Gosto muito do branco gelado como aperitivo e do tinto acompanhando a sobremesa.

F250GTO disse...

Realmente o Porto nos remete a infancia das gemadas (salmonelas? ora as salmonelas!)
Quando eu era pequeno (faz teeeempo)o médico da familia disse que era muito bom tomar uma gema de ovo em jejum.
A coisa funcionava assim:
Pegava-se um colher das de sopa colocava a gema crua na mesma, e mandava goela abaixo.
No maximo uma pitada de sal ou limão.
A manha, era deixá-la escorregar direto, se estourasse na boca era horrivel.(Eca!)
Por isso e por outras "extravagancias" como brincar na rua, jogar "taco", fazer guerra de mamonas, jogar futebol em terreno baldio, andar (e se ralar) de carrinhos de rolimã, a minha geração tem uma coisa chamada anti-corpos e dificilmente está sujeita a doenças.
Hoje ninguem sabe o que são os anti-corpos e a geração video-game, está morrendo de "resfriado"...
E nesta época de festas natalinas, nada melhor que um bom panetone regado a vinho do Porto.
Salute!!!

Quintal disse...

Milton, não sei o trabalho que deu mas essa imagem está digna de um Real. Parabéns!!!
Agradeço também aos amigos que comentaram e, sobre o Adriano, informo que esse Fundador da Real Compnahia custa menos que alguns tipos de Adriano. Vale conferir!

Buonanno disse...

Speed e Quintal obrigado!

Vocês são suspeitos. hehehe

Um abraço.