quinta-feira, 26 de março de 2009

PATEK PHILIPPE

Difícil quem não goste de relógio. Mais difícil ainda, é quem gosta de relógio e não conhece essa marca. Para iniciar a série de relógios que eu pretendo publicar, eu começo com um modelo da Patek Philippe que é um dos meus preferidos. Seu movimento é acionado via corda manual. Suas funções são de calendário perpétuo - informa dia do mês, dia da semana e mês - tem fase da lua e é também cronógrafo. O que valoriza muito esse modelo específico, é que ele foi fabricado no final da década de 50 e está praticamente novo. Na última vez que eu consultei, o seu preço estava estimado em $360.000,00, mas não sei se eles facilitam. :-)


14 comentários:

M disse...

Há uns trocentos anos, andei comprando alguns de bolso lá na feirinha do MASP. Tocavam hora, meia hora e quarto de hora. Um escândalo. O pessoal não se ligava muito e dava para conseguir por bons preços. E quando eu ia para as Oropas, vendia em Londres.
O lucrinho pagava a festa.
Em outra ocasião, um mané me ofereceu um extra-chato quadrado, nem automático era, com a caixa e pulseira em malha de ouro. Comprei e vendí no dia seguinte para o Tadini (o velho), não lembro os valores, mas com o lucro comprei um Mini 1275 1970. Beleza de relógio !
Estes cronógrafos com fases da lua eram os mais caros.
Afinal, esta é uma informação imprescindivel, né não ????

Buonanno disse...

Claro! Não se consegue viver sem ela. hahahaha

Mas falando sério, o que vale nesse caso, é a beleza do mostrador. Normalmente a peça que mostra as fases da lua é esmaltada.

A função de bater hora, meia hora e quarto de hora nos relógios de pulso é a complicação que mais encarece um relógio. Elas são chamadas de Sonnerie. Depois delas, o calendário perpétuo que leva em conta até anos bissextos.

Se pensar que essas funções são feitas em um relógio mecânico e em um mínimo de espaço...

M disse...

Relógios antigos sempre me fascinaram !
Principalmente os de tambor. É Incrivel imaginar como os artesãos conseguiam trabalhar naquele nível de precisão, com as ferramentas que dispunham. (será que eles já tinham uma Dremel ?)
Acho que foram os relojoeiros que inventaram as correntes de bicicletas !
VC tem alguma referência disto ?

Buonanno disse...

Isso mesmo! O mecanismo é o charme do negócio. Eles deviam ter uma Dremel só que manual. hehehe

E pensar que o tal do Monsieur Breguet tem invenções datadas de 1795 e que até hoje são consideradas um espanto. Vou colocar aqui algumas delas.

Nunca ouvi falar sobre essa da corrente, mas será interessante pesquisar. TEA WITH ME!

911 Turbo disse...

Eu gosto muito dos Omega e Rolex....o Patek é muuuuito conservador para mim.

Ahhhh....Tag Heuer é legal também...

disse...

Utilisavam a nanotequinologia!
Desculpe o termo téquino.
Sucesso !

Primo disse...

Boa Gilles, digo 911...Tag Heuer é duca !!!

Buonanno disse...

Valeu Dú!

Paulo Aidar disse...

Gosto dos dois mas deixei de usar relogios já tem um tempo, canetas porem uso o tempo todo.

Prefiro os esportivos Omega Speedmaster, TAG Heuer e MOMO.

Roberto Zullino disse...

Uso um Timex Expedition e me acho um Indiana Jones com ele.

O resto foi para a gaveta.

Pé de Chumbo disse...

Buonnano, vc entende de relógios, eu não entendo nada.
Tenho aqui em casa um relógio de pulso muito antigo, foi de meu pai, trata-se de um ERNEST BOREL, suiço, folhado a ouro, corda manual.
Deve ter mais de 60 anos...
Você conhece essa marca?

Buonanno disse...

Pé de Chumbo na verdade eu gosto de relógios, mas entendo muito pouco. Vou dar uma procurada na marca e se achar algo interessante te falo.

Speed disse...

Belissimo relógio! Mas há um modelo mais sofisticado que esse, não? Se não me engano, um que só existe uma unidade...

Buonanno disse...

Speed, existe sim!

Há relógios de mais de $1 mi.

Há uns 2 ou três anos atrás foi leiloado um Patek de pulso de platina da década de 30 por mais de $1 mi.

Os que possuem o mecanismo de "bater" em um quarto de hora, meia hora e hora cheia, que é uma complicação chamada sonnerie, são os mais caros. Há os chamados Tourbilon que compensam a gravidade.

Esse que você se referiu é um Patek de bolso que foi feito em comemoração ao aniversário da fábrica. Na época, ele foi comprado por um grupo japonês para investimento. Vou colocar ele aqui.