domingo, 25 de outubro de 2009

DIA DA MASSA

(que fome!)No dia 25 de outubro de 1995, durante o Congresso Internacional de Pastas realizado na Itália, foi criado o Dia da Massa e é esse dia que comemoramos hoje em um evento gastronômico chamado "Rota 25 - Caminho do Macarrão". Ele terá duração até o dia 31 de outubro e, neste período, dez restaurantes da capital paulista - Quattrino, La Vecchia Cucina, Cantina Gigio, Matterello, Nico Pasta & Basta, Piselli, Ristorante Roma, Terraço Itália, Walter Mancini Restaurante e VicoloNostro - oferecerão um prato à base de macarrão com os preços variando de R$ 28,80 a R$ 75,00. O lado humanitário do evento é que a cada prato vendido durante o evento, os fabricantes das massas utilizadas doarão um pacote de macarrão à APAE. Nestas opções, você tem desde os restaurantes tradicionalíssimos, os contemporâneos e até os badalados. Faça a sua escolha pensando no ato de caridade e BOM APETITE. Aproveite o domingo.

Cantina Giggio – Rua do Gasômetro, 254

Ristorante Roma – Rua Maranhão, 512

La Vecchia Cucina – Rua Pedroso Alvarenga , 1088

Matterello - Rua Fidalga, 120,

Nico Pasta & Basta- Rua Costa Aguiar 1.586

Piselli - Rua Padre João Manuel, 1.253

Quattrino - Rua Iguatemi, 150

Terraço Italia- Avenida Ipiranga, 344

Vicolo Nostro – Rua Jataiuba, 29

Walter Mancini Restaurante- Rua Avanhandava, 126

(Reprodução - Dica gastronômica de Il Dottore)

14 comentários:

Joel Marcos Cesetti disse...

Bom,já são 11:08,que fome!
Muito legale gosteir do roteiro.

valeu!

roberto zullino disse...

Não gosto da maioria dos restaurantes indicados e alguns nunca fui. A maioria é careira ou faz macarrão a la nuova cucina ou tem serviço ruim, espera, uma merda.
Macarrão tem que ter molho vermelho, bem apurado, bem temperado, molho de carne, ou seja, tem que ter "sustânça".
Até eu que tenho nojo de cozinhar faço coisa melhor que a maioria aí e vou dar uma receita para pessoas que não gostam de cozinhar como eu. Dá para enganar bem.
Em primeiro lugar é bobagem se usar tomates, trabalho no meio e sei que os tomates compridos italianos não vão para os mercados, vão para as fábricas e os que vão para os mercados são os que não interessaram às fábricas. Portanto, é bobagem querer comprar tomates na feira ou em supermercados se não se achar o comprido e mesmo assim não são lá grande coisa, os outros não prestam para fazer molho.
Como tudo em cozinha, molho é enganação, tem que se usar de esperteza para enganar o paladar. Vamos à receita:
Deixar uma maminha inteira na vinha d´álho por 2 horas, use vinho razoável e abundante. Fritar bacon e depois colocar cebola e alho refogando em uma panela de pressão. Colocar a carne para dar uma selada e despeje a vinha d´álho na panela. Colocar duas latas de pomarola e a mesma quantidade de água. Colocar duas cervejas long neck Malzebier, a cerveja preta tem açucar e corta a aceidez do molho de tomate. Tampe a panela e depois de 30 minutos depois que começar a chiar retire do fogo, resfrie e abra. Retire a carne e recoloque a panela no fogo destampada para apurar o molho. Enquanto isso fatie a carne que deverá estar vermelha no centro. No final do molho apurado, que deve estar grosso, coloque orégano e bastante azeite de oliva. Recoloque a carne já em fatias apenas para esquentar dentro do molho. Cozinhar um espaguete de grano duro e colocar o molho e a carne por cima. Comer com pão italiano da Basilicata e acabou.
O processo de se colocar líquido do molho de tomate industrial e reduzir o molho tira a característica industrial, pouca gente vai perceber que se usou molho de tomate de lata ou sache.
A maioria das pessoas não sabe o que é um molho de macarrão apurado porque para apurar o molho tem que esperar o molho respingar no fogão. Como isso suja o fogão as empregadas detestam fazer e servem molho ralo. O uso da panela de pressão mitiga a sujeira no fogão. As donas de casa também fazem a mesma coisa e todo mundo acaba comendo molho ralo, isso virou uma praga em casas de família e as pessoas se fartam de comer macarrão de merda em casa e acabam indo bancar os trouxas em restaurantes picaretas que tem o desplante de cobrar uma fortuna por um prato de pasta que não custa quase nada.

Pé de Chumbo disse...

Pô tio, um prato de macarrão a quase 30 contos...se tomar um vinho, a conta já vem muito alta.
Procon neles!
Estão usando uma causa nobre pra encher o bolso...

Buonanno disse...

Boa Zullino,

vou passar a receita para o pessoal aqui de casa.

O preço da massa realmente é um absurdo. Já faz um tempo que lí que o prato preferido dos donos de restaurante é o macarrão porque é ele o que dá o maior retorno funanceiro.

roberto zullino disse...

Não é para passar para o pessoal, faça você mesmo e vai ver que esse negócio de cozinhar é tudo exagêro, é pura química e qualquer um faz. Os caras inventam um monte de viadagem para valorizar a coisa e enfeitar o pavão.

Belair disse...

Só mesmo mentes privilegiadas como a do Zullino para dar uma contribuição dessas à culinária mundial.Eu não conseguiria passar do segundo passo nessa receita e sou um frustrado por não saber nem fritar um ovo.Mas continuo contribuindo generosamente com a culinária à minha maneira:comendo muito !!!O indicador da atividade,a barriga, está em franca expansão,com índices de crescimento de fazer inveja à China.

Buonanno disse...

Graças a Deus eu também não posso reclamar dos índices de crescimento da minha barriga.

E com essas dicas então...

Pé de Chumbo disse...

Eu sou bom de cozinha.
E, se eu cozinho, eu como!

Anônimo disse...

O QUE ?????
Macarrão de R$75,00 ?????
TÔ FORA !!!!
Tutti ladri...

F250GTO disse...

A receita de "pastasciuta" do "chef" Zullino é dez!
Eu só retiraria aquele bacon do inicio da receita.

Gilles 313 disse...

E talvez trocar a maminha por musculo..mas preciso experimentar a receita do Zullino antes pra confirmar...

Buonanno disse...

Minha mãe fazia o melhor molho de macarrão do mundo (hehehe) e usava lagarto.

roberto zullino disse...

Já experimentei com músculo, mas com maminha é melhor, lagarto fica seco. lagarto precisa ser recheado de cenoura, ervas e um pouquinho de bacon.

Buonanno disse...

Esqueci de dizer que ela fazia também a maionese em casa que nós comíamos com a carne.

Ôoo tempo bom!!!