terça-feira, 24 de novembro de 2009

CARBONÔMETRO

Apesar de não serem nada econômicos, os carros flex já evitaram a emissão de mais de 75 milhões de toneladas de gás carbônico (CO2) na atmosfera no período de abril de 2003 até o final de outubro de 2009, devido ao uso de etanol. O volume de CO2 que deixou de ser emitido no período, foi calculado pelo "carbonômetro", um instrumento desenvolvido pela União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), que estima a quantidade do poluente que deixou de ser emitida pelos carros flex quando abastecidos com etanol ao invés de gasolina. Boas novas!

(Reprodução – UOL Ciência e Saúde)

3 comentários:

Joel Marcos Cesetti disse...

Agora só precisa melhorar o preço.

Speed disse...

A atual geração de carros flex fica num meio termo, não é eficiente nem num nem noutro combustível.

É o tipo da economia burra: pagamos menos pelo carro, mas depois gastamos mais com combustível!

Cadê aquele protótipo da Bosch com turbo de pressão regulada automaticamente que garante eficiência máxima com qualquer combustível, incluínco gás?

pacheco disse...

e pensart que quando saiu o combustível a etanol fizeram o maior auê dizendo que era poluidor. Lembram daqueles frentistas com máscaras para encher o tanque dos carros? Palhaçada......